sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Confira as categorias e os indicados ao Troféu Promessas

Com o fim do Troféu Talento, que teria sua 15ª edição em 2010, faltou ao cenário gospel nacional uma premiação digna do prestígio da nossa música. 

Ano passado até que houve uma “tentativa” com o Troféu Melhores do Ano (nome original não é, Faustão?), mas a coisa soou muito amadora e parece que os organizadores desistiram desse fiasco já que nem o site está mais no ar. 

Outra premiação que só ficou no papel foi a que aconteceria durante a Expo Music Gospel nos meses de maio e junho deste ano, mas essa também só ficou na promessa. 

Foi então que bons ventos começaram a soprar no vale de ossos secos neste ano até tocarem a Vênus Platinada e, pela primeira vez na história (desculpem o exagero), a Rede Globo está por trás de uma premiação voltada para a música evangélica. Senhoras e senhores, eis o Troféu Promessas

Apesar de soar meio prepotente com o título de “a maior premiação da música evangélica”, temos que reconhecer que os organizadores estão mesmo empenhados em fazer desta um modelo no cenário musical. Claro que pequenos detalhes precisaram de ajustes como, por exemplo, no processo de inscrição que foi feito via internet e o sistema não reconhecia alguns nomes de cantores. 

Mas temos que tirar o chapéu para a equipe por ter o prestígio de reunir em uma mesma sala diretores de gravadoras concorrentes (uma concorrência sadia, diga-se de passagem). O Comitê Organizador, presidido por Marcus Mota (Quartel Design), é mesmo de tirar o chapéu. Olha só os nomes: 

Alomara Andrade – MK Music, Ana Paula Porto – Graça Music, Bianca Pagliarin – Rádio Vida (SP), Eduardo Berzin Filho – EBF Comunicações, Gilberto de Jesus – Rádio Gospel (SP), Junior Monteiro – Idealizador do Troféu Promessas, Marcelo Toller – Som Livre, Marcus Mota – Quartel Design e Presidente do Comitê Organizador, Mauricio Soares – Sony Music, Ozéias Leal – Central Gospel Music, Rogério Barrios – EBF Comunicações e Vagner Jimenes – Canzion. 

Depois de passarem mais de sete horas em reunião no Hotel Windsor, no bairro carioca de Copacabana, no dia 09 de agosto, eles chegaram aos seguintes candidatos que já estão sendo votados pelo público desde o dia 16 de agosto e vai até o fim deste mês e só depois começa a segunda fase das votações, a partir de 06 de outubro, quando apenas um entre os três finalistas poderá ser escolhido até o dia 29 de novembro. 

Antes de falarmos sobre os indicados, vale abrir um parêntese sobre a questão da votação popular. Todo mundo sabe os problemas que isso causa. Afinal, o público não vota em quem merece ganhar, mas em quem gosta. 

Ou alguém já engoliu Robinson Monteiro ter levado o prêmio de Melhor Álbum Pentecostal no Troféu Talento 2009 concorrendo com nomes como Shirley Carvalhaes, Léa Mendonça e Damares? 

E o que falar da vitória do Restart em todas as categorias no Prêmio VMB 2010 e no Prêmio Multishow do ano passado, algo que fez com que o diretor Guilherme Zonta pedisse demissão ainda no palco? 

O que poderiam fazer é algo observado no VMB 2011 que definiu categorias escolhidas por um júri e outras pelo público. 

Mas vamos ao que realmente interessa: 

De acordo com o regulamento do Troféu Promessas, apenas trabalhos lançados em 2010 e 2011 poderiam concorrer. Isso explica o motivo de duas desclassificações na categoria Melhor DVD. Então senhores, confiram nossa opinião sobre cada um deles (A propósito, alguém sabe o que aconteceu com a categoria Melhor evento?): 

Revelação: 
Entende-se aqui que Revelação não é justamente o artista que surgiu agora, mas o que conta foi ele ter estourado neste ano. Isso explica as indicações de Thalles (2009), Flordelis (2008), Luciano Claw (2006) e outros que começaram a carreira antes de 2010. 

E já que cada categoria só terá três concorrentes na segunda fase, Brenda e Thalles já são quase certos de irem para a semifinal. Difícil é saber quem seria o terceiro concorrente: Jill Viegas, Jairo Bonfim, Arianne, Léo Fonseca e Marcus Salles são fortes nomes, sem falar dos representantes do estilo mais alternativo: Megafone, Palavrantiga, Tanlan e Banda NS4. Henrique Cerqueira pode ser o azarão da categoria que pecou pela ausência de Hélvio Sodré e Betânia Lima. 

Melhor Música: 
Essa sem dúvida é a categoria mais difícil de fechar. Afinal, são músicas que foram tocadas exaustivamente nas rádios e no comércio popular. Quem não colocou o pé na igreja e ao ouvir uma delas não pensou: “Ai, meu Deus, de novo essa música”? Das 20 indicadas, as que têm as maiores chances são Não morrerei (Marquinhos Gomes), Pavão-pavãozinho (Fernanda Brum), Ressuscita-me (Aline Barros), Sou humano (Bruna Karla), Um novo vencedor (Damares) e Uma nova história (Fernandinho). 

Já a indicação de Kleber Lucas foi meio forçada, afinal, desde Aos pés da cruz (2001) que ele não nos brinda com uma canção realmente impactante. Outras canções como Deus da minha vida (Thalles) e Até quando (André Valadão) são até empolgantes, mas não têm força para vencer na categoria. Brenda, PG, Diante do Trono, Cassiane, Regis Danese também podem sonhar com a vitória, mas a grande surpresa ficou por conta de Árvore de bons frutos, título do CD do Pregador Luo do ano passado. 

Melhor Ministério de Louvor: 
Com tudo o que passou este ano para a gravação do 14º álbum da carreira, o Diante do Trono é forte indicado a levar essa. Se tivermos que apostar em outros dois nomes, podem ser Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul, que passou por uma reformulação com a produção de Paulo César Baruk, e Ministério Sarando a Terra Ferida que tem conseguido se manter sempre em alta. Renascer Praise, Voz da Verdade, Ministério Nova Jerusalém e Ministério Apascentar de Nova Iguaçu podem ser bem votados pelo histórico que possuem. 

Melhor grupo: 
Essa merece o título que categoria mais sem noção do Troféu Promessas. Ou alguém consegue enxergar parâmetro nessa disputa que colocou Cassiane e Jairinho disputando com Oficina G3 e Ao Cubo? Por que não criaram as categorias Melhor dupla e Melhor banda? E Trazendo a Arca e Livres para Adorar não se encaixariam melhor na categoria anterior? Agora, alguém pode explicar a indicação do Grupo Ellas depois que tanto se especulou sobre o fim do trio? 

Melhor DVD: 
A categoria misturou duas tecnologias distintas: DVD e Blu-ray, mas conseguiu reunir alguns nomes fortes. Apesar de ser um lançamento MUITO recente, o trabalho de Bruna Karla é um concorrente de peso, o mesmo pode ser dito acerca de Renascer Praise, Pregador Luo, Thalles, Diante do Trono, Jozyanne, Oficina G3, Nani Azevedo, Nívea Soares, Lázaro e Aline Barros. 

Melhor clipe: 
As produções do cenário nacional ainda estão engatinhando se comparadas ao que é feito no mercado internacional, mas temos que admitir que alguns concorrentes são verdadeiras pérolas. Afinal, não é todo mundo que consegue o feito de Fernanda Brum e seu "Pavão-pavãozinho" que figurou entre os assuntos mais comentados do Twitter. "Jack, Joe and Nancy in the mall" do Resgate tem aqueles ares de clipe caseiro e muito divertido e o clipe de PG também ficou com um ótimo resultado. Megafone também tem grandes chances com "Não há outro lugar" com um trabalho estético impecável. 

Produção também que merece elogios fica por conta do brilhante clipe "Nasci pra vencer do Ao Cubo" que não ficou devendo em nada às produções de hip hop seculares. AndréValadão também surpreendeu com o resultado da gravação com tons bem realistas. "Eis-me aqui" de Ana Paula Valadão e Ludmila Ferber tem belas imagens, mas vamos combinar que o roteiro ficou MUITO estranho (sem comentários). 

Os representantes da Salluz – "Isso é amor" (Paulo César Baruk e Rebeca Nemer) e "Tudo cooperapara o bem" (Coral Resgate para a Vida) – são daqueles que você quer ver toda hora e não enjoa. Já os clipes de Thalles e Aline Barros ficaram na mesmice: cantor – cenário ao ar livre – banda. A ausência de "Flores em vida" de Paulo César Baruk foi sentida na indicação que não explicou como "És tudo pra mim" de Nádia Santolli pôde concorrer se só foi ao ar uma semana depois que os indicados foram divulgados. 

Melhor CD: 
Já começamos sentindo a falta do elogiadíssimo "Emanuel" de Nívea Soares que surpreendeu em produção, composições e interpretação da cantora que confirmou que não nasceu para ser apenas uma solista do Diante do Trono. "Ainda não é o último" do Resgate também foi uma falta imperdoável. André Valadão fez um excelente disco pop e merece ser um dos semifinalistas assim como Damares e seu muito bem lapidado "Diamante". "Ele não desiste de você" foi a ressurreição da carreira de Marquinhos Gomes e "Extraordinário amor de Deus" fez com que Aline Barros fosse notícia por vender mais de 50 mil cópias em apenas um dia. Brenda também fez bonito em sua estréia com um trabalho muito bem feito por Ruben di Souza. Pierre Onassis também acertou em cheio ao mostrar que música baiana não é feita só de Lázaro. 

Melhor cantora: 
Essa categoria será daquelas que os fãs clubes vão brigar para ver seus favoritos erguendo o troféu na noite da premiação. Aqui eles se redimiram com a indicação de Nívea Soares e outras fortes candidatas são Aline Barros, Fernanda Brum, Jamily, Damares e Dany Grace. Difícil engolir a indicação de Pamela (a estrela teen precisa se reinventar urgentemente) e não ver os nomes de Ariely Bonatti e Betânia Lima. 

Melhor cantor: 
Os 20 candidatos prometem uma disputa acirrada. Marquinhos Gomes, Fernandinho, Thalles, André Valadão são alguns fortes nome para erguer o troféu. Waguinho é a grande surpresa assim como Pregador Luo e David Quinlan. Álvaro Tito andou meio sumido e soou apelativa a indicação. Wilian Nascimento e Marcus Salles são outros nomes merecidos assim como Regis Danese, PG, Marcelo Aguiar e Paulo César Baruk. 

E ai? Já escolheu os seus candidatos? Entre no site do Troféu Promessas para votar agora:www.trofeupromessas.com.br/vote 

Série sobre a história dos grandes hinos da música cristã - parte 4 - A mensagem da cruz

Prosseguindo com nossa série sobre as grandes canções, hoje conheceremos a história de um hino maravilhoso – e com uma essência maravilhosa. Falo de A mensagem da cruz, também chamada pelos batistas de “A cruz, emblema de amor” ou simplesmente de “A cruz”. 

O autor 

George Bernard 

George Bernard nasceu na cidade de Youngstown, em Ohio, nos Estados Unidos, no dia 4 de fevereiro de 1873, filho de pai que trabalhava como mineiro. Ainda criança, George se mudou para o estado de Iowa – primeiro para Albia, depois para Lucas. 

Aos dez anos de idade, George se converte. Desde criança teve o desejo de se tornar um evangelista cristão – algo que foi difícil, visto que desde os dezesseis anos já era o responsável para sua mãe e suas quatro irmãs, isto porque seu pai morrera pouco tempo antes. Foi difícil para ele, que até a própria educação teve de cuidar. 

Alguns anos após, ele e sua família mudam-se para o Illinois, Lá ele se casa e fixa residência. Também ele passa a trabalhar ativamente no famoso movimento cristão “Exército da Salvação”. Depois de um tempo, decidem sair do projeto e ingressam na Igreja Metodista Episcopal. Paralelo a isso, durante quase vinte anos trabalharam com um projeto de evangelização por todos os Estados Unidos e Canadá. Durante esse período, nosso caro muda-se novamente, agora para Michigan. 

No final de sua vida, já reconhecido pelos seus mais de trezentos hinos, ele se retira para a cidade de Reed City, até morrer, aos 85 anos de idade, em 10 de outubro de 1958. Até hoje essa última cidade possui um museu em sua homenagem. 

O hino 

Por volta de 1912, quando George já vivia em Michigan, ele voltava de série de conferências evangelísticas, em Michigan e em Nova York. Nesse momento ele começa a passar por algumas provações. Isso faz com que ele comece a fazer um estudo sobre a cruz, no contexto do plano de Deus para a salvação. Nisso, ele lê um texto de Paulo, em Filipenses 3.10, falando sobre seus sofrimentos. 

Isso foi o suficiente para que ele sentisse um desejo em escrever um hino sobre o tema. O mais interessante disso é que o hino não foi escrito de uma só vez, mas aos poucos. Isso por que sempre havia a necessidade de interromper o trabalho para fazer os trabalhos evangelísticos. Essa situação proporcionou a George ter uma visão mais profunda da cruz e seu significado. 

O hino já estava quase pronto, mas faltava o “gran finale”. Para tanto, foi à igreja de um amigo, o Reverendo Bostwick, para participar de uma série de cultos de avivamento. Isso foi mais que o suficiente para ele pudesse concluir o hino, que fora tão cuidadosamente elaborado. No dia 7 de junho de 1913, ele apresentou o hino em uma conferência, em Pokagon, por um coral de cinco vozes e violão. 

Foi publicada em 1915, sendo bastante difundida por duas pessoas: Homer Rodeheaver – que inclusive comprou os direitos da canção por $500, e por Virginia Asher, que foi a primeira a gravar a canção, seis anos mais tarde. 

As experiências 

Não vejo e conheço experiências muito impactantes sobre o hino. O que vejo, sim, é uma emoção ao lembrarmos a história relacionada. 

Quando George tinha seu hino pronto, ele procurou o mesmo Reverendo Bostwick e sua esposa para contar a eles o novo texto. Convidaram-no para um jantar. Enquanto a esposa estava fazendo o jantar, atarefada na cozinha, ele falou a eles sobre o hino. A esposa estava, inicialmente, mais preocupada em fazer o jantar do que no hino. 

Enquanto ele cantava o hino, de forma calma e expressiva, havia a impressão de que as verdades faladas no texto se tornavam mais evidentes, mais convincentes. Foi algo tão impactante que o jantar foi simplesmente esquecido. Após o último acorde, um silêncio comoveu o lugar. Foi um momento em que Deus permitiu a eles experimentar uma nova sensação, mais profunda, sobre a cruz. Foi o suficiente para que a sra. Bostwick, com emoção, pedisse a George que ele lhe concedesse o privilégio de custear as despesas da primeira impressão do hino “The old rugged cross”. 

Hoje, traduzido para várias línguas, sua trajetória nos faz despertar para o grande amor de Deus, que é manifestado em nosso meio de forma maravilhosa, graças ao sacrifício de Cristo na cruz do calvário. Como o próprio George disse, a cruz é mais do que um mero símbolo religioso – é o coração do evangelho. Em tempos difíceis, pare e olhe para a cruz! 

Que Deus te abençoe! 

@jonathacardoso 

Fonte: Supergospel

Milena, estrela mirim do Programa Raul Gil, é a nova contratação da Sony Music Gospel

Novidade no mercado infantilMilena é uma das revelações do Raul Gil, programa que é transmitido todos os sábados através do SBT, e já é sucesso na televisão, na imprensa e na internet. 

Acompanhada por seus pais, a pequena curitibana, de três anos de idade, esteve no último dia 8 de setembro assinando contrato com a gravadora Sony Music. 

Durante a coletiva de imprensa a mãe da menina, que é também é cantora, falou sobre este momento. “No processo de gestação eu sentia que Milena estava esperando nascer para pregar e falar do amor de Deus. Eu sentia que era uma gestação fora do normal, mas não esperava que Deus fizesse uma projeção dela, como cantora-mirim, tão cedo. Foi algo sobrenatural”. 

O pai da pequena Milena, que é pastor, revelou que educa a menina de um modo em que ela não se deixe influenciar pelas outras crianças. Ela também tem hora certa para ensaios em casa, mostrando desde cedo, dedicação total pela obra de Deus, o que é muito importante. 

Apesar da pequena idade a menina falou sobre suas influências musicais e citou Crianças Diante do Trono, Mara Maravilha e Aline Barros, tendo uma preferência pela música "Aos os olhos do Pai", composição de Ana Paula Valadão. 

A Sony Music irá lançar seu primeiro álbum no mês de dezembro. O disco contará com a participação de Cassiane e Mara Maravilha. E as novidades não ficam por ai. A empresa já planeja a gravação de um DVD infantil em 2012. 

O contrato com a Sony se deu através do bom relacionamento da gravadora com o Programa Raul Gil. Outro exemplo dessa afinidade foi a fato da empresa ter contratado a cantora Brenda, que foi a vencedora do concurso "Jovens Talentos" e lançou recentemente o CD "Outra Metade", que já é Disco de Ouro. 

Com esta contratação a Sony se fortalece ainda mais no segmento de música gospel, montando um cast bem diversificado, com cantores de diversos estilos, entre eles, pentecostal, rap, funk, pop, adoração, rock e agora, investindo também, no mercado infantil. 

Fonte: Supergospel

Nívea Soares, David Quilan e Antônio Cirilo gravam clipe com cantores africanos


O ministério Som do Céu formado por oito jovens africanos que se converteram e resolveram usar o dom da música para levar a mensagem da salvação para outras pessoas esteve no Brasil para participar de dois programas da Rede Super, o programa de Nívea Soares e o Balaio.
Nívea Soares, David Quilan e Antônio Cirilo gravam clipe com cantores africanosAo apresentador Alex Passos, os cantores vindos da cidade de Maputo, capital de Moçambique, disseram que tinham vontade de cantar com alguns cantores brasileiros. Emocionado com a história do grupo, Alex Passos resolveu presenteá-lo com um clipe que contou com a participação de Nívea Soares, David Quinlan e Pr. Antônio Cirilo.
O clipe conta a história de alguns integrantes e mostra os bastidores da gravação. A música é cantada no dialeto de Moçambique e também em português.
O ministério Som do Céu tem feito a diferença em seu país, uma vez ao mês eles se reúnem com pessoas de várias cidades moçambicanas em um teatro no centro de Maputo para adorar a Jesus.
Fonte: Gospel Prime

“Sou Humano”, de Bruna Karla, foi a música escolhida por lutador de MMA para subir ao octógono

“Sou Humano”, de Bruna Karla, foi a música escolhida por lutador de MMA para subir ao octógono
O lutador John Lineker escolheu a música “Sou Humano”, da cantora gospel Bruna Karla, para fazer a sua apresentação na luta. Momentos antes do lutador de MMA subir ao octógono (ringue especial para esta modalidade de luta), a música iniciou, sendo a trilha sonora de sua chegada.
A luta foi realizada no último dia 10 no Ginásio de Ibirapuera, em São Paulo. Na ocasião foi disputado o cinturão do peso galo.
John, que é paranaense, venceu a disputa contra o paraense Ilirde Santos.
A cantora Bruna Karla se disse muito feliz com a escolha de John. Bruna disse que assiste lutas e que era um sonho antigo ver um lutador entrar ao som de uma música sua.
O MMA (Mixed Martial Arts) é uma modalidade de luta em que os participantes podem utilizar de golpes e técnicas de diversas artes marciais.
Veja abaixo o vídeo de John Lineker entrando no octógono ao som de “Sou Humano”:
Fonte: Gospel+
Com informações de MK Music

Diante do Trono: baixe gratuitamente o aplicativo para iPad, iPhone e iPod Touch

O ministério de louvor e adoração Diante do Trono lançou o seu aplicativo oficial para iPad, iPhone e iPod Touch. O programa foi elaborado como parte do material oficial do 14º CD e DVD ao vivo do ministério, “Sol da Justiça”.
O aplicativo contém músicas, fotos, vídeos e informações especiais do Diante do Trono 14. Além disso é possível comprar as músicas do álbum “Sol da Justiça” diretamente pelo programa.
O desenvolvimento do programa ficou a cargo da Velasco TI, que também produziu os aplicativos para iPad, iPhone e iPod Touch de Mariana Valadão eAsaph Borba.
Diante do Trono: baixe gratuitamente o aplicativo para iPad, iPhone e iPod TouchBrunno Velasco, da Velasco TI, revelou ao Gospel+ como surgiu a idéia de elaborar este aplicativo: “A idéia do APP do DT 14 foi concebida pela nova tendência no mundo mobile. Agora vai virar mania um lançamento de um CD/DVD estar acompanhado com um APP com o mesmo conteúdo. A Ana Paula Valadão solicitou a Velasco TI que desenvolvesse esse tipo de aplicativo pois queria entrar nesse mundo. Combinado com a arte da agência publicitária Quartel Design (@quarteldesign), o APP foi desenvolvido pela Velasco TI (@brunnovelasco) para atender a esse novo mercado. O APP contém músicas, videos e fotos exclusivas da gravação do DT 14 em Natal, RN. O próximo APP do Diante do Trono será mais completo, com toda a discografia, muitas fotos e vídeos.”
“Sol da Justiça” foi gravado em Natal (RN) em dois dias. O mau tempo impediu que a primeira gravação ao vivo tivesse um resultado satisfatório, portanto um segundo show realizado no Midway Mall para a captação completa de som e imagem. O álbum promete ter a simbiose dos dois shows de forma delicada, contendo os momentos especiais de cada gravação.
O álbum é marcado por uma série de participações especiais, com destaque para Asaph Borba. o ministério ainda fez versões especiais de músicas em forró e camisetas oficiais com a logomarca do álbum.
No início do mês foi divulgada a capa oficial do CD “Sol da Justiça”, um dos mais aguardados pelos admiradores do Diante do Trono.
O aplicativo promete ser uma complementação especial para a experiência do CD e DVD. O download é gratuito através da App Store.
Fonte: Gospel+

Bispo Edir Macedo afirma que Ana Paula Valadão e 99% dos cantores gospel são endemoniados. Cantores respondem...

Depois de causar polêmica ao comparar igrejas pentecostais com centro de umbanda, o bispo Edir Macedo e outros pastores da Igreja Universal do Reino de Deus causaram revolta nos fãs do grupo Diante do Trono. Isso porque em dois programas da IURD a cantora Ana Paula Valadão foi usada como exemplo de cantores evangélicos que são “possessos por demônios”.
Bispo Edir Macedo afirma que Ana Paula Valadão e 99% dos cantores gospel são endemoniados. Cantores respondemEm um programa o líder da IURD afirmou que para ele 99% dos cantores gospel são endemoniados e perturbados. ”O diabo também promove dentro da Igreja grandes cantores, cantoras e que fazem grandes sucessos, mas aquele sucesso é justamente uma mensagem subliminar para iludir os crentes”, disse ele.
O bispo Marcio, que estava apresentando o programa com Edir Macedo, deu exemplo da cantora do DT que na última edição do Congresso Internacional de Louvor e Adoração Diante do Trono “caiu na unção” quando foi ungida por um pastor finlandês.
Na igreja Universal “cair na unção” é o mesmo que cair possesso por demônios e por esse motivo o vídeo deste dia de congresso na sede da Igreja Batista da Lagoinha foi divulgado durante o programa na IURDTV . No programa “Nosso Tempo” o bispo Romualdo Panceiro reprisou o vídeo duas vezes para frisar aos telespectadores que a cantora estava possuída e que por esse motivo não cantaria mais as canções do Diante do Trono.
Resposta
Em seu Twitter, a cantora Ana Paula Valadão respondeu as críticas afirmando para seus seguidores não se preocuparem “Não se preocupem comigo qto a essas críticas…estou em paz no meu Senhor!” e até ficou feliz com o ocorrido “Interessante ser criticada por me render corpo e alma em adoração na Presença de Deus…até me regozijo por isso…não me deixarei intimidar”

Record x Globo

Para alguns usuários da comunidade do Orkut destinada ao grupo Diante do Trono, as mensagens dos bispos da Universal são na verdade uma forma de tentar barrar a venda dos CDs dos artistas da Som Livre (empresa do grupo Globo), que por meio do selo Você Adora está investindo na contratação de cantores gospel, como foi o caso do DT.
Os fãs do grupo mineiro também tentam questionar o líder da IURD se os cantores que fazem parte do casting da Line Records (uma das maiores gravadoras do gospel do Brasil que é ligada a IURD) também são possuídos por demônios.

Vídeos: Bispo Edir Macedo e Igreja Universal chama Ana Paula Valadão e cantores gospel de endemoniados

Eyshila, André Valadão e outros cantores gospel respondem

Alguns cantores evangélicos ficaram surpresos e revoltados com as palavras dos bispos da Igreja Universal do Reino de Deus, inclusive o líder Edir Macedo, que afirmaram que 99% dos cantores evangélicos são endemoniados e que a cantora Ana Paula Valadão estava possessa de demônios.
Através do Twitter o cantor André Valadão resolveu se manifestar. “Não tenho dificuldade em falar sobre a IURD afinal, #IgrejaUniversalNãoÉEvangélica @BispoMacedo o Macalister não te ensinou o que tens feito”, escreveu o irmão de Ana Paula.
A cantora Eyshila também se mostrou indignada. “Reformulando: pessoas que se declaram a favor do aborto, e ainda publicam isso em sua biografia, não merecem o meu respeito. Não as escuto!”
“Escrevi e apaguei, escrevi e apaguei de novo, não tem nem o que dizer em relação a IURD , lamentável Bp Macedo, lamentável…”, tuitou a cantora Lydia Moisés que foi apoiada por Jairinho Manhães, esposo da cantora Cassiane.
Mauro Henrique, vocalista da banda Oficina G3 foi irônico ao falar sobre o caso. “(…) ainda mais depois de saber que o Edir Macedo me chamou de endemoniado! Hahaha. Vem expulsar então!!! Kkkkk”.
Ainda no Twitter membros de várias denominações também se manifestaram contra as palavras dos bispos da IURD e alguns usaram a hashtag #IgrejaUniversalVergonhaAlheia. “Testemunhos comprados obreiros explorados pastores obrigados a cumprir metas de oferta #IgrejaUniversalVergonhaAlheia”, provocou um internauta.
“Esse bispo não tem vergonha na cara mesmo, dizer que a @anapaulavaladao é endomoniada é o fim da picada @: #IgrejaUniversalVergonhaAlheia”, disse outra usuária do microblog.
Fonte: Gospelprime